Useletter




  • Para ativar a sua subscrição terá de clicar no link que será enviado pela Google para o seu email.
  • A Useletter é o nosso popular email que versa sobre áreas como a Meditação, Mindfulness, Budismo, Yoga e outras atividades de 'Integração Mente-Corpo'. Contém os próximos encontros, dicas, sugestões, Meditações Guiadas e Ferramentas Práticas e uma relação forte com a (Neuro)ciência.

   
Voltar ao início

Top Ad unit 728 × 90

.

Aumento de temperatura corporal na meditação g-tummo



POR EDITOR SPM-BE |





Aumento de temperatura corporal na meditação g-tummo

G-Tummo

A prática meditativa g-tummo dirigida a controlar a "energia interior" é descrita pelos praticantes Tibetanos como uma das práticas espirituais mais sagradas nas tradições indo-tibetanas do Budismo Vajrayana e Bon. É também chamada de prática do "calor psíquico", uma vez que está associada a sensações intensas de calor corporal na coluna. [1]-[3] Pouco se sabe sobre os detalhes da técnica de g-tummo. Os mosteiros que mantêm uma prática continuada de g-tummo são bastante raros e localizados principalmente nas províncias remotas chinesas de Qinghai e Sichuan (também conhecido como leste do Tibete). Relatos de testemunhas oculares descrevem os praticantes de g-tummo como sendo capazes de gerar calor suficiente para secar lençóis molhados envoltos em torno dos seus corpos nus, produzindo uma quantidade visível de vapor, enquanto sentados ou em pé no frio dos Himalaias.[4], [5]

As únicas tentativas para estudar os efeitos fisiológicos do g-tummo foram realizadas por Benson e colaboradores [6], [7] que pesquisaram Yogis Indo-Tibetanos nos Himalaias e na Índia. Os autores relataram que três meditadores g-tummo mostraram um aumento dramático de até 8,3°C na temperatura corporal periférica (dedos das mãos e dos pés), os aumentos da de temperatura da pele foram mais modestos: 1,9°C nas regiões do umbigo e lombar, e nenhum aumento na temperatura rectal. Infelizmente, estes resultados foram posteriormente distorcidos em relatórios noutras fontes, possivelmente devido a uma confusão entre as escalas Fahrenheit e Celsius ou falta de especificação clara sobre os sítios anatómicos de medição de temperatura, levando a afirmações gerais de aumentos de temperatura durante o g-tummo que variam desde "... até 15 graus apenas após alguns momentos de concentração " [3] para" até “17 graus de aumento na temperatura corporal periférica "[8].


A prática g-tummo envolve a componente somática e a componentes cognitiva. A componente somática é constituída por técnicas de respiração específicas, bem como exercícios isométricos (exercícios realizados em posições estáticas), envolvendo estiramento e contracção muscular . A componente neurocognitiva envolve a visualização meditativa exigindo a geração e manutenção de imagens mentais de chamas em locais específicos no corpo acompanhado por sensações intensas de calor corporal na coluna vertebral. As questões permanecem sobre se a prática do g-tummo está de facto associada a um aumento da temperatura corporal, e se estes aumentos de temperatura são devidos a alterações cognitivas (atenção, visualizações) ou meramente somáticas.

Inicialmente, foi realizado um estudo em mosteiros remotos, do leste do Tibete, com 10 meditadores experientes a executar práticas g-tummo enquanto a sua temperatura corporal axilar e actividade cerebral (EEG) estavam a ser medidas. Segundo, para continuar a investigar a contribuição da componente somática e a componente cognitiva da prática g-tummo, realizou-se um estudo adicional com 11 participantes ocidentais (não-meditadores), instruídos a usar a componente somática da prática g-tummo sem utilização de visualizações meditativas.



Dois tipos de prática g-tummo
A prática g-tummo caracteriza-se por uma técnica especial de respiração, o "vaso", acompanhada por contracções musculares isométricas, em que após a inalação, durante um período de suster a respiração (apneia), os praticantes contraem os músculos abdominais e pélvicos de forma a que a zona abdominal inferior saliente toma a forma de um vaso ou panela [1].

A tradição oral, como confirmado pelas extensas entrevistas realizadas com praticantes de g-tummo, diferencia entre pelo menos dois tipos principais de práticas g-tummo: a respiração forte (RF) e a respiração suave (RS). Estes tipos de g-tummo diferem não só em termos da técnica de respiração envolvidas, mas também nos seus objectivos e no conteúdo de visualização. Embora ambos RF e RS sejam baseados na técnica de respiração "vaso", RF é forte e vigoroso, enquanto RS é suave e sem qualquer tensão. Considerando que a meta da RF é aumentar o "calor psíquico", o objectivo da RS é mantê-lo. Durante RF, a atenção é focada na visualização de uma chama crescente que começa abaixo do umbigo e com cada respiração sobe para o alto da cabeça, enquanto a RS é acompanhada pela visualização de todo o corpo a ser preenchido com uma sensação crescente de felicidade e calor.


Discussão
Verificou-se um aumento da temperatura durante a prática Respiração Forçada, não apenas através da RF, mas também através da respiração tipo ‘vaso’. No entanto, os resultados dos estudos 1 e 2 sugerem que a componente neurocognitiva (“atenção internalizada" em imagens visuais) da prática meditação com respiração forçada pode facilitar a elevação da temperatura corporal para além da temperatura normal do corpo (perto da zona de febre), ao passo que o aumento da temperatura corporal durante somente a RF e respiração vaso é limitado, e não excedeu a faixa de temperatura normal do corpo. No entanto, ambos os factores trabalham em conjunto para maximizar o aumento da temperatura. Isto é, a RF componente somática (respiração vaso) causa efeitos termogénicos, enquanto a componente cognitiva (visualização meditativa) parece ser a chave para facilitar um aumento sustentado da temperatura do corpo por longos períodos, possivelmente devido a mitigação mecanismos fisiológicos que levam à perda de calor. No caso da meditação RF, um dos mecanismos possíveis da prevenção da perda de calor pode ser a imagem mental do calor e das chamas. De facto, pesquisas anteriores já consideraram a imagem mental como uma técnica potencialmente eficaz para influenciar a temperatura corporal periférica, o fluxo de sangue, e vasodilatação local [9] - [12].
Assim, é possível que a componente das visualizações mentais  durante a meditação com RF minimize a a perda de calor e, assim, prolongue o tempo de subida da tempertatura corporal por mecanismos semelhantes (alterações do fluxo sanguíneo reduzido, vasodilatação). Sem a visualização de acompanhamento na meditação, a respiração vaso pode não ser muito eficaz e resultar em aumentos de temperatura corporal limitados. Ao mesmo tempo, sem uma técnica eficaz de respiração RF, mesmo pequenos aumentos da temperatura corporal, se possível, pode requerer períodos de meditação significativamente mais longos.

Aplicações dos resultados da investigação
Os resultados do estudo mostraram que aspectos específicos das técnicas de meditação podem ser usados por não-praticantes de meditação para regular a temperatura do corpo através da respiração e imagens mentais. As técnicas poderiam permitir que os praticantes se adaptem e funcionem em ambientes frios, melhorar a resistência a infecções, aumentar o desempenho cognitivo, acelerando o tempo de resposta e reduzir os problemas de desempenho associados com a temperatura do corpo diminuída.


Por Vítor Bertocchini



Referências Bilbliográficas:

1.Evans-Wentz WY (2002) Tibetan Yoga and Secret Doctrines (Pilgrims Publishing, Varanisa, India).

2.Mullin GH (1997) Readings on Six Yogas of Naropa (Snow Lion Publication, Ithaca, NY).

3.Mullin GH (1996) Tsongkhapa’s Six Yogas of Naropa (Snow Lion Publication, Ithaca, NY).

4.David-Neel A (1971) Magic and Mystery in Tibet (Dover Publications, New York).

5.Govinda Lama Anagarika (1988) Way of White Clouds (Shambhala Publications,).

6.Benson H, Lehmann JW, Malhotra MS, Goodman RF, Hopkins J, et al. (1982) Body temperature changes during the practice of g-tummo yoga. Nature 295: 234–236. doi:10.1038/295234a0Find this article online

7.Benson H, Malhotra MS, Goldman RF, Jacobs GD, Hopkins PJ (1990) Three case reports of the metabolic and electroencephalographic changes during advanced Buddhist meditation techniques. Behav. Med 16: 90–95. doi:10.1080/08964289.1990.9934596Find this article online

8.Cromie WJ (2002) Meditation changes temperatures: Mind controls body in extreme experiments. Harvard University Gazette.

9.McGuik J, Fitzgerald D, Firedman PS, Oakley D, Salmon P (1998) The effect of guided imagery in a hypnotic context on forearm blood flow. Contemp Hypn 15: 101–108. doi:10.1002/ch.121Find this article online
10.Lee LH, Olness K (1996) Effect of self-induced mental imagery on autonomic reactivity in children. J Dev Behav Pediatr 17: 323–327. doi: 10.1097/00004703-199610000-00006Find this article online



Artigo Original: Neurocognitive and Somatic Components of Temperature Increases during g-Tummo Meditation: Legend and Reality
Aumento de temperatura corporal na meditação g-tummo Reviewed by Prana | TM on 18:08 Rating: 5






MBSR

Treino de Resiliência ao Stress
e de Desenvolvimento Emocional


MBSR TTI

Em 2016 inicia a Formação de Instrutores de MBSR...

Formação

O meu 1º Retiro

Especialmente destinado Para quem deseja iniciar a...

Retiros

Retiros de Silêncio

Passar algum tempo em retiro é uma óptima forma...


Workshops

Fortemente práticos, são uma forma de ter...

Workshops


Mindfulness Institute
Sociedade Portuguesa de Meditação e Bem-Estar



Práticas de Integração 'Mente-Corpo'


A Sociedade Portuguesa de Meditação e Bem-Estar | Mindfulness Institute é uma associação científica, sem fins lucrativos, que procura contribuir para uma sociedade mais consciente através do estudo e da prática da Meditação.

Tem como missão contribuir para o estudo e para a prática da Meditação e outras abordagens de integração "mente- corpo", de forma científica e contemplativa, como forma para aumentar a qualidade de vida das pessoas e das comunidades, para o seu empowerment, facilitando a realização do seu pleno potencial.

ver mais


Bem-vind@s.






Últimas Entradas

*

 
Com tecnologia do Blogger.