Useletter




  • Para ativar a sua subscrição terá de clicar no link que será enviado pela Google para o seu email.
  • A Useletter é o nosso popular email que versa sobre áreas como a Meditação, Mindfulness, Budismo, Yoga e outras atividades de 'Integração Mente-Corpo'. Contém os próximos encontros, dicas, sugestões, Meditações Guiadas e Ferramentas Práticas e uma relação forte com a (Neuro)ciência.

   
Voltar ao início

Top Ad unit 728 × 90

.

As pessoas inteligentes têm menos probabilidades de serem religiosas



POR EDITOR SPM-BE |





As pessoas inteligentes têm menos probabilidades de serem religiosas

As pessoas religiosas são menos inteligentes do que os não-crentes, de acordo com um estudo científico lançado recentemente. A meta-análise sistemática de 63 estudos realizados entre 1928 e 2012 mostram uma associação negativa significativa entre a inteligência e a religiosidade.

Uma equipa liderada por Miron Zuckerman, da Universidade de Rochester, concluiu que existe "uma forte relação negativa entre a inteligência e a religiosidade" em 53 dos 63 estudos analisados.
Uma equipa liderada por Miron Zuckerman, da Universidade de Rochester concluiu que existe "uma forte relação negativa entre a inteligência e a religiosidade" em 53 dos 63 estudos analisados.
O estudo definiu a inteligência como a capacidade de raciocinar, planear, resolver problemas, pensar de forma abstracta, compreender ideias complexas, aprender rápido e aprender com a experiência.
Religiosidade é definida como o envolvimento em algumas (ou todas) facetas da religião, o que inclui a crença no sobrenatural, oferecer presentes para este sobrenatural e realizar rituais que afirmam as crenças.
Mesmo na velhice extrema, as pessoas inteligentes são menos propensas a acreditar, os investigadores descobriram - e as razões pelas quais as pessoas com QIs altos evitam a religião podem não ser tão simples como se pensava anteriormente.

Os investigadores oferecem três possíveis interpretações dos dados:
1. Pessoas inteligentes são menos propensas a obedecer e, portanto, são mais propensas a aceitar o dogma religioso.

2.  pessoas inteligentes tendem a adotar um estilo de pensamento analítico (em oposição ao intuitivo), que foi demonstrado diminuir as crenças religiosas.

3. várias funções da religiosidade, incluindo o controlo compensatório, a auto-regulação, auto-melhoramento, e apego seguro, são também conferidas pela inteligência. As pessoas inteligentes podem, portanto, ter menos necessidade de crenças e práticas religiosas.

A conclusão de que pessoas inteligentes são menos religiosas não é novidade. Já em 1958, Michael Argyle concluiu: "Embora as crianças inteligentes compreendam os conceitos religiosos desde tenra idade, elas também são as primeiros a duvidar da verdade da religião e os alunos inteligentes são muito menos propensos a aceitar as crenças ortodoxas e um pouco menos propensos a ter pro-atitudes religiosas."


 O estudo acrescenta:
"As pessoas inteligentes costumam passar mais tempo na escola, uma forma de auto-regulação que pode trazer benefícios a longo prazo ... As pessoas mais inteligentes conseguem empregos de nível superior [que] pode levar a uma maior auto-estima, e incentivar as crenças de controlo pessoal ... Sugerimos, portanto, que, à medida que as pessoas envelhecem, os benefícios da inteligência podem continuar a acumular-se. " 

Sendo um estudo bastante interessante e que merece a nossa reflexão, existem, no entanto, algumas limitações. Por um lado, a correlação não é igual a causalidade. Só porque as pessoas inteligentes têm menos probabilidade de ser religiosas não significa que eles rejeitem a religião. Embora em contextos totalmente diferentes, será interessante pensar nas contribuições intelectuais de cristãos ao longo da história, feita por pensadores como Donne, Newton, Tomás de Aquino, e muitos outros.
Apesar de apresentar uma meta-análise (um estudo de estudos), os autores do suportaram-se, principalmente, em protestantes, nos EUA. Isso destaca um problema que é a forte tendência dos estudos em direcção a uma determinada população normativa que é normalmente ocidental, educada, industrializada, rica, democrática, quando comparada com o resto do mundo.

Por último, parece-me importante fazer a distinção entre a religiosidade e a espiritualidade. Possivelmente, as pessoas inteligentes tendem a ser menos religiosas e a procurar outros paradigmas de pensamento, mais abrangentes e menos dogmáticos.


Por Vitor Bertocchini
As pessoas inteligentes têm menos probabilidades de serem religiosas Reviewed by Prana | TM on 11:51 Rating: 5






MBSR

Treino de Resiliência ao Stress
e de Desenvolvimento Emocional


MBSR TTI

Em 2016 inicia a Formação de Instrutores de MBSR...

Formação

O meu 1º Retiro

Especialmente destinado Para quem deseja iniciar a...

Retiros

Retiros de Silêncio

Passar algum tempo em retiro é uma óptima forma...


Workshops

Fortemente práticos, são uma forma de ter...

Workshops


Mindfulness Institute
Sociedade Portuguesa de Meditação e Bem-Estar



Práticas de Integração 'Mente-Corpo'


A Sociedade Portuguesa de Meditação e Bem-Estar | Mindfulness Institute é uma associação científica, sem fins lucrativos, que procura contribuir para uma sociedade mais consciente através do estudo e da prática da Meditação.

Tem como missão contribuir para o estudo e para a prática da Meditação e outras abordagens de integração "mente- corpo", de forma científica e contemplativa, como forma para aumentar a qualidade de vida das pessoas e das comunidades, para o seu empowerment, facilitando a realização do seu pleno potencial.

ver mais


Bem-vind@s.






Últimas Entradas

*

 
Com tecnologia do Blogger.