Useletter




  • Para ativar a sua subscrição terá de clicar no link que será enviado pela Google para o seu email.
  • A Useletter é o nosso popular email que versa sobre áreas como a Meditação, Mindfulness, Budismo, Yoga e outras atividades de 'Integração Mente-Corpo'. Contém os próximos encontros, dicas, sugestões, Meditações Guiadas e Ferramentas Práticas e uma relação forte com a (Neuro)ciência.

   
Voltar ao início

Top Ad unit 728 × 90

.

6 Mitos Sobre o Stress



POR EDITOR SPM-BE |





6 Mitos Sobre o Stress

emocoes mindfulness


Concepções erradas sobre o stresse podem aumentar de forma dramática os seus níveis nas nossas vidas. A seguir estão seis pontos, oferecidos pela American Psychological Association, para ajudar a dissipar os mitos comuns sobre o stresse, e um pouco de orientação para ajudar a ter uma acção positiva e produtiva na redução do stresse geral na sua vida.

Mito # 1: O stresse é o mesmo para todos.

Não é verdade. Cada um de nós tem um limiar de resistência diferente e reagimos ao stresse diferencialmente. Algumas pessoas retiram-se; algumas pessoas experimentam ansiedade; outras tornam-se explosivas. Identificar o que nos faz “disparar” e o que tendemos a fazer sob stresse são os primeiros passos essenciais no desenvolvimento de uma rotina de gestão de stress com sucesso.




Mito # 2: O stresse é mau.

O stresse pode ser nefasto, mas nem sempre. De facto, em certas circunstâncias, o stresse pode ajudar a sobreviver a uma situação perigosa (a normal resposta de luta ou fuga). O stresse também pode ser um grande motivador para fazer as coisas. Se o stresse é "bom" ou "mau" depende mais da quantidade na sua vida e como o gere, do que uma simples valência positiva ou negativa.

Mito # 3: O stresse é omnipresente, então apenas temos que viver com ele.

Muitos aspectos do mundo actual (relações interpessoais, a fraca economia, longas horas de trabalho,  baixa renuneração, etc.) levam ao aumento do stresse em muitas pessoas. Mas o stresse não está em todo o lado não tem que simplesmente viver com ele. Pode moldar sua vida de tal maneira que tem tempo livre de stresse durante o dia. Também pode desenvolver estratégias eficazes para a gestão dessas experiências negativas na sua vida. Priorizando, quebrar tarefas complexas em projectos menores, mais simples, e estratégias eficazes de gestão do tempo são apenas algumas das maneiras de reduzir o stresse. Poderá também tentar praticar um pouco de meditação Mindfulness (ver aqui).

Mito 4: As estratégias mais populares para reduzir o stresse são as melhores.

Este é um mito perigoso, porque leva as pessoas a forçar-se a se envolver em actividades que "supostamente" servem para aliviar o stresse, mesmo que essas estratégias possam não ser eficazes para o seu estilo de vida e personalidade. Não há nenhum programa de gestão de stresse que se adapte a todas as pessoas. Muitas pessoas consideram o yoga extremamente stressante, enquanto outras não vivem sem a sua prática como uma forma de reduzir o stresse. O melhor plano de gestão do stresse é o único que se adapta às suas necessidades e interesses únicos. Se você tentar forçar rotinas de gestão de stresse na sua vida, porque elas parecem estar a funcionar tão bem para os outros, é provável que adicione mais stresse em vez de o diminuir.

Mito 5: Ausência de sintomas, sem stresse.

Não é verdade. A ausência de sintomas não equivale a uma ausência real de stresse. Com o tempo, o stresse crónico acabará por fazer com que o corpo e a mente começem a dar sinais de fadiga, perda de produtividade, esquecimento, dores de estômago, etc. Mas isso pode levar anos, às vezes décadas. Não ignore o stresse na sua vida, simplesmente porque não sofre ou sofre pouco agora. O desenvolvimento de rotinas de gestão de stresse saudáveis no início da vida irá ajudar quando os eventos mais difíceis surgirem.


Mito # 6: Somente os principais sintomas de stresse requerem atenção.

Os sintomas menores de stresse acabarão por se transformar em grandes sintomas se não forem geridos de forma eficaz. Considere os pequenos sinais de stresse (dores de cabeça, sensação de cansaço, etc.) como sinais de aviso.

Resumindo
Talvez a coisa mais importante a lembrar é que, embora existam muitas maneiras de reduzir o stresse, a chave para a sua gestão eficaz é não será, muito provavelmente, algum programa de sete dias ou de 30 dias que lhe diz o que fazer para relaxar ou como encontrar o equilíbrio (embora possam contribuir de forma muito positiva). A chave é descobrir o seu próprio programa de gestão de stresse, que funciona para si e no seu estilo de vida, em seguida, fazer o compromisso de incorporá-lo na sua vida.
Mesmo assim, na maioria dos casos, uma melhor gestão do stresse passa pela alteração dos estilos de vida e a implementação de uma certa disciplina na sua rotina diária.

Ver Gestão do stresse e prática de Meditação Mindfulness


Porto, Maia, Matosinhos, Portugal, Lisboa, Espanha, prática, praticar, Meditação, Mindfulness, Budismo, Zafu, Saúde, Formação
6 Mitos Sobre o Stress Reviewed by Mindfulness Institute on 14:26 Rating: 5






MBSR

Treino de Resiliência ao Stress
e de Desenvolvimento Emocional


MBSR TTI

Em 2016 inicia a Formação de Instrutores de MBSR...

Formação

O meu 1º Retiro

Especialmente destinado Para quem deseja iniciar a...

Retiros

Retiros de Silêncio

Passar algum tempo em retiro é uma óptima forma...


Workshops

Fortemente práticos, são uma forma de ter...

Workshops


Mindfulness Institute
Sociedade Portuguesa de Meditação e Bem-Estar



Práticas de Integração 'Mente-Corpo'


A Sociedade Portuguesa de Meditação e Bem-Estar | Mindfulness Institute é uma associação científica, sem fins lucrativos, que procura contribuir para uma sociedade mais consciente através do estudo e da prática da Meditação.

Tem como missão contribuir para o estudo e para a prática da Meditação e outras abordagens de integração "mente- corpo", de forma científica e contemplativa, como forma para aumentar a qualidade de vida das pessoas e das comunidades, para o seu empowerment, facilitando a realização do seu pleno potencial.

ver mais


Bem-vind@s.






Últimas Entradas

*

 
Com tecnologia do Blogger.