Useletter




  • Para ativar a sua subscrição terá de clicar no link que será enviado pela Google para o seu email.
  • A Useletter é o nosso popular email que versa sobre áreas como a Meditação, Mindfulness, Budismo, Yoga e outras atividades de 'Integração Mente-Corpo'. Contém os próximos encontros, dicas, sugestões, Meditações Guiadas e Ferramentas Práticas e uma relação forte com a (Neuro)ciência.

   
Voltar ao início

Top Ad unit 728 × 90

.

Mindfulness (MBSR) e doença cardíaca



POR EDITOR SPM-BE |





Mindfulness (MBSR) e doença cardíaca


Programa de redução de stresse baseado em atenção plena na doença cardíaca coronária: um ensaio clínico aleatório.


Factores de risco psicológicos, como ansiedade e a depressão têm sido associados com a doença arterial coronária . O stresse pode ter um impacto sobre os factores de risco para a doença, tais como a pressão arterial, inactividade física e excesso de peso. No passado mês foi publicado mais um artigo que procurou investigar, num ensaio clínico aleatório, o impacto de um Programa de Redução de Stresse Baseado em Mindfulness (MBSR; atenção plena) nos sintomas de ansiedade e depressão, stresse percebido, pressão arterial e índice de massa corporal em pacientes com doença coronária.

A doença arterial coronária é considerada a principal causa de mortalidade no mundo. É uma condição em que as paredes das artérias coronárias (artérias que fornecem sangue ao músculo do coração) se vão estreitando com uma gradual acumulação de material gorduroso, chamado ateroma. Quando o ateroma afecta as artérias coronárias pode causar angina de peito, infarte do miocárdio ou morte súbita. Existem alguns factores de risco que são assumidos terem uma relação directa com a origem e a evolução da doença coronária, como a idade (45 anos ou mais para os homens, 55 anos para as mulheres), história familiar de doença arterial coronária, tabagismo, pressão arterial elevada , níveis elevados de colesterol, sobrepeso / obesidade, sedentarismo e diabetes. [1] Além disso, os pesquisadores determinaram que, em comparação com as pessoas de outros países desenvolvidos, a média de idade dos pacientes com doença cardíaca é menor entre os povos indígenas e os índios são mais propensos a ter doenças cardíacas. [2] A pesquisa indica que factores psicossociais, como stresse, depressão e ansiedade contribuem significativamente para o aparecimento, manifestação e prognóstico da doença coronária. O stresse pode ter efeitos físicos e emocionais indesejados, que podem afectar o coração ao libertar certas hormonas que aumentam a pressão arterial e estimulam a coagulação nas artérias. Os agentes geradores de stresse incluem isolamento social, eventos de vida crónicos e agudos e pressão/tensão no trabalho. [3] Os estudos fornecem evidências fortes e consistentes de que a depressão é um factor de risco independente para a doença arterial coronária e o seu prognóstico. [4] Os estudos de meta-análise têm apoiado o papel da ansiedade no início da doença coronária. [5]

Tendo em conta que os factores psicológicos contribuem para o aparecimento, curso e recuperação na doença arterial coronária, diferentes intervenções psicológicas têm sido realizadas. Abordagens psico-educacionais [6], cognitivas-comportamentais (biofeedback, treino de relaxamento e reestruturação cognitiva) [7]. A meditação tem sido uma das mais antigas técnicas de relaxamento para o tratamento de uma ampla gama de problemas de saúde mental e física. [8] Os efeitos da meditação envolvem vários mecanismos psicofisiológicos, que incluem relaxamento, redução do stresse, diminuição da frequência cardíaca e da respiração, aumento da coerência e da ressonância das ondas cerebrais. [9] Várias técnicas de meditação e yoga também fazem parte das estratégias para a gestão e redução dos factores de risco na doença coronária.

Nos últimos 25 anos, as intervenções baseadas na meditação mindfulness tornaram-se no foco de considerável atenção para uma grande comunidade de clínicos e investigadores. Mindfulness ou Atenção Plena como conceito tem sido descrito como um processo de trazer uma certa qualidade de atenção à experiência do momento-a-momento, através da prática de um certo tipo de meditação.[10] Mindfulness na Psicologia contemporânea tem sido adoptada como uma abordagem para aumentar a consciência e responder competentemente a processos mentais que contribuem para problemas emocionais e de comportamento menos adaptativo. Grande parte do interesse nas aplicações clínicas da Mindfulness doi iniciado pela introdução do Programa de Redução de Stresse Baseado em Mindfulness (MBSR), um programa de tratamento originalmente desenvolvido para a gestão da dor crónica. [11]

Intervenções baseadas em Mindfulness têm potencial promissor enquanto intervenções eficazes nos cuidados de saúde. Vários estudos têm demonstrado que tais intervenções aliviam o sofrimento associado com distúrbios físicos, psicossomáticos e psicológicos e melhoram a qualidade de vida. [12] Para além disso, os seus efeitos positivos na saúde e no funcionamento imunológico também têm sido bem documentados. [13] Vários estudos têm demonstrado a eficácia de intervenções mindfulness em problemas tão variados como transtornos de ansiedade, [14] fibromialgia, [15] epilepsia [16], psoríase [17], hipertensão, [18] cancro de mama e de próstata, [19] diabetes, [20] HIV [21] e uso de substâncias. [22] Os estudos de meta-análise e revisões sistemáticas indicam que a participação num programa de MBSR aumenta a probabilidade em lidar melhor com os sintomas, melhorar a saúde mental, aumentando o bem-estar e a qualidade de vida e potenciam uma melhor saúde em pessoas com doença crónica. Demonstrou-se também que a terapia cognitiva baseada em mindfulness previne recaídas depressivas. [23], [24]


Resultados

Os resultados dos estudos que usaram a meditação mindfulness como componente terapêutico integral na gestão de doença coronária são muito encorajadores. [25], [26] e estão em linha com os resultados desta investigação. Uma redução significativa foi observada nos sintomas de ansiedade e de depressão, stresse percebido, pressão arterial e índice de massa corporal nos pacientes do grupo MBSR após a conclusão da avaliação da intervenção. Aos 3 meses de follow-up, os ganhos terapêuticos foram mantidos em pacientes do grupo MBSR.


Conclusão

Tendo em consideração que as doenças cardiovasculares são responsáveis por uma grande proporção de mortes e incapacidade em todo o mundo, o ónus económico e social e carga sobre o sistema de saúde devido é enorme e está em crescimento. O presente estudo fornece evidência para a eficácia do programa MBSR na redução dos sintomas de ansiedade e depressão, stresse percebido, PA e IMC em pacientes com doença arterial coronária e oferece novas perspectivas não invasivas e economicamente acessíveis no tratamento de pacientes com doença coronária.



Referências Bibliográficas

1. National Heart Lung and Blood Institute. NHLBI Publications for patients and public Internet. Bethesda: U.S. Department of Health and Human Services, c2009. Available from: http://www.nhlbi.nih.gov/health/pubs/pub_gen.htm. [Last accessed on 2012 Apr 26].
2. Xavier D, Pais P, Devereaux PJ, Xie C, Prabhakaran D, Reddy KS, et al. Treatment and outcomes of acute coronary syndromes in India (CREATE): A prospective analysis of registry data. Lancet 2008;371:1435-42
3. British Heart Foundation. BHF publications Internet. London: British Heart Foundation, c2012. Available from: http://www.bhf.org.uk/publications.aspx. [Last accessed on 2012 Apr 26].
4. Kuper H, Marmot M, Hemingway H. Systematic review of prospective cohort studies of psychosocial factors in the etiology and prognosis of coronary heart disease. Semin Vasc Med 2002;2:267-314.
5. Kubzansky LD, Kawachi I. Going to the heart of the matter. Do negative emotions cause coronary heart disease? J Psychosom Res 2000;48:323-37.
6. Sundin O, Lisspers J, Hofman-Bang C, Nygren A, Rydén L, Ohman A. Comparing Multifactorial life style interventions and stress management in coronary risk reduction. Int J Behav Med 2003;10:191-204.
7.Rees K, Bennett P, West R, Davey SG, Ebrahim S. Psychological interventions for coronary heart disease. Cochrane Database Syst Rev 2004;2:CD002902.
8. Sharma MP. Vipassna Meditation: The art and science of mindfulness. In: Balodhi JP, editor. Application of oriental philosophical thoughts in mental health. Bangalore: NIMHANS; 2002. p. 69-74.
9. Schuman M. The Psychophysiological model of meditation and altered states of consciousness: A critical review. In: Davidson JM, Davidson RJ, editors. The psychobiology of consciousness. New York: Plenum Press; 1980.
10. Kabat-Zinn J. Full catastrophic living: Using the wisdom of your body and mind to face stress, pain and illness. New York: Delacourt; 1990.
11. Kabat-Zinn J. An outpatient program in behavioural medicine for chronic pain patients based on the practice of mindfulness meditation: Theoretical consideration and preliminary results. Gen Hosp Psychiatry 1982;4:33-47
12. Grossman P, Niemann L, Schmidt S, Walach H. Mindfulness-based stress reduction and health benefits. A meta-analysis. J Psychosom Res 2004;57:35- 43.
13. Witek-Janusek L, Albuquerque K, Chroniak KR, Chroniak C, Durazo-Arvizu R, Mathews HL. Effect of mindfulness based stress reduction on immune function, quality of life and coping in women newly diagnosed with early stage breast cancer. Brain Behav Immun 2008;22:969-81.
14. Miller JJ, Fletcher K, Kabat-Zinn J. Three-year follow-up and clinical implications of a mindfulness meditation-based stress reduction intervention in the treatment of anxiety disorders. Gen Hosp Psychiatry 1995;17:192-200.
15. Kaplan KH, Goldenberg DL, Galvin-Nadeau M. The impact of a meditation-based stress reduction program on fibromyalgia. Gen Hosp Psychiatry 1993;15:284-9.
16. Deepak KK, Manchanda SK, Maheshwari MC. Meditation improves clinico-electro encephalographic measures in drug-resistant epileptics. Biofeedback Self Regul 1994;19:25-40.
17. Kabat-Zinn J, Wheeler E, Light T, Skillings A, Scharf MJ, Cropley TG, et al. Influence of a mindfulness-based stress reduction intervention on rates of skin clearing in patients with moderate to severe psoriasis undergoing phototherapy (UVB) and photochemotherapy (PUVA). Psychosom Med 1998;60:625-32
18. Schneider RH, Staggers F, Alxander CN, Sheppard W, Rainforth M, Kondwani K, et al. A randomized controlled trial of stress reduction for hypertension in older African Americans. Hypertension 1995;26:820-7.
19. Carlson LE, Speca M, Patel KD, Goodey E. Mindfulness-based stress reduction in relation to quality of life, mood, symptoms of stress and immune parameters in breast and prostate cancer outpatients. Psychosom Med 2003;65:571-81.
20. Hartmann M, Kopf S, Kircher C, Faude-Lang V, Djuric Z, Augstein F, et al. Sustained effects of a mindfulness-based stress-reduction intervention in Type 2 Diabetic patients: Design and first results of a randomized controlled trial (The Heidelberger Diabetes and Stress-Study). Diabetes Care 2012;35:945-947.
21. Duncan LG, Moskowitz JT, Neilands TB, Dilworth SE, Hecht FM, Johnson MO. Mindfulness-based stress reduction for HIV treatment side effects: A randomized, wait-list controlled trial. J Pain Symptom Manage 2012;43:161-71.
22. Bowen S, Witkiewitz K, Dillworth TM, Chawla N, Simpson TL, Ostafin BD, et al. Mindfulness meditation and substance use in an incarcerated population. Psychol Addict Behav 2006;20:343-7.
23. Merkes M. Mindfulness-based stress reduction for people with chronic diseases. Aust J Prim Health 2010;16:200-10.
24. Fjorback LO, Arendt M, Ornbøl E, Fink P, Walach H. Mindfulness-based stress reduction and mindfulness-based cognitive therapy - a systematic review of randomized controlled trials. Acta Psychiatr Scand 2011;124:102-19.
25. Tacón AM, McComb J, Caldera Y, Randolph P. Mindfulness meditation, anxiety reduction, and heart disease: A pilot study. Fam Community Health 2003;26:25-33.
26. Sullivan MJ, Wood L, Terry J, Brantley J, Charles A, McGee V, et al. The Support, Education, and Research in Chronic Heart Failure Study (SEARCH): A mindfulness-based psychoeducational intervention improves depression and clinical symptoms in patients with chronic heart failure. Am Heart J 2009;157:84-90.



Porto, Maia, Matosinhos, Portugal, Lisboa, Espanha, prática, praticar, Meditação, Mindfulness, MBSR, Mindfulness-Based Stress Reduction, Reduação de Stress baseado em Mindfulness, Budismo, Zafu, Saúde, Formação, Buddhism, donate, doar, saúde, bem-estar, ansiedade, depressão, yoga
Mindfulness (MBSR) e doença cardíaca Reviewed by Prana | TM on 17:32 Rating: 5






MBSR

Treino de Resiliência ao Stress
e de Desenvolvimento Emocional


MBSR TTI

Em 2016 inicia a Formação de Instrutores de MBSR...

Formação

O meu 1º Retiro

Especialmente destinado Para quem deseja iniciar a...

Retiros

Retiros de Silêncio

Passar algum tempo em retiro é uma óptima forma...


Workshops

Fortemente práticos, são uma forma de ter...

Workshops


Mindfulness Institute
Sociedade Portuguesa de Meditação e Bem-Estar



Práticas de Integração 'Mente-Corpo'


A Sociedade Portuguesa de Meditação e Bem-Estar | Mindfulness Institute é uma associação científica, sem fins lucrativos, que procura contribuir para uma sociedade mais consciente através do estudo e da prática da Meditação.

Tem como missão contribuir para o estudo e para a prática da Meditação e outras abordagens de integração "mente- corpo", de forma científica e contemplativa, como forma para aumentar a qualidade de vida das pessoas e das comunidades, para o seu empowerment, facilitando a realização do seu pleno potencial.

ver mais


Bem-vind@s.






Últimas Entradas

*

 
Com tecnologia do Blogger.